Pedido feito por: Bruno Vinicius

  • Descrição

A ideia central do romance, sugerida por Púschkin após a leitura de uma nota jornalística, permitiu a Gógol pintar uma variedade de personagens, cuja força reside em seu poder de caracterização do universal pelo específico, o que levou Púschkin a dizer, apesar de toda comicidade ali destilada – ‘eu não ri, chorei; Deus, como é triste a nossa Rússia’. Assim, a denominação ‘almas mortas’ constitui não apenas a metáfora de um golpe ou de uma prática ardilosa no regime czarista, mas ainda uma expressão de até onde pode ir o decaimento do espírito humano, a contradição em que ele pode entrar com todo o padrão ético e fundamento religioso da existência.

 


  • Informação Adicional
Edição 2010
Autor Nikolai Gogol
Editora Pespectiva

Inscreva-se em nosso canal

"É Necessário educar as crianças, para que não seja preciso punir os adultos" Fui editor do site 06/2014 à 06/2015.

Comentários